9 dicas para escolher seu provedor de internet

15 de novembro de 2021 0 Comments

Quem nunca precisou cancelar um serviço de internet e pedir outro porque não foi o que você esperava? Isso é muito comum de acontecer, mas aqui nós vamos dar dicas para escolher seu provedor de internet. Acompanhe aqui essas dicas e escolha melhor as operadoras.

Dicas para escolher seu provedor de internet

1 Cobertura na sua região.

Antes de qualquer coisa, você precisa verificar as operadoras que atendem a sua região, afinal, não adianta pesquisar por empresas que não conseguem chegar até você.

Para descobrir isso, uma boa opção é perguntar qual internet seus vizinhos usam e até pegar um feedback com eles.

Você também pode consultar pelo SIMET, basta colocar a sua região e ele vai dar o resultado no mapa. Esse foi o resultado para a região de Maracanaú, Ceará.

2 Escolha uma que tenha um pacote do tamanho que você precisa

Existem muitas ofertas quanto aos pacotes de internet, no entanto, algumas delas podem não atender ao que você precisa.

Mas como saber quanto sua casa precisa de internet?

A verdade é que uma conexão a partir de 5 MB pode ser suficiente para muitas pessoas, porém, outras vão precisar de 400 megas. Para definir isso, você pode analisar alguns aspectos:

Quantos aparelhos vão estar conectados simultaneamente na rede Wi-Fi

Essa pergunta é muito importante, afinal, não podemos comparar uma casa com uma TV e outra com várias tevês, celulares e computadores. Quanto mais aparelhos precisam ser conectados, mais pacote de internet você vai precisar, pois, pode congestionar sua conexão. Esse congestionamento causa travamentos, interrupções e downloads demorados.

A dica para ambos os casos é optar por um bom custo-benefício, pois muitas vezes é possível encontrar preços muito parecidos com pacotes bem diferentes, basta pesquisar bem.

Quer uma internet super veloz? Fale com a gente.

Qual a exigência de sinal

A conexão que você precisa para enviar e receber e-mails pode ser bem diferente de uma conexão em que precise ver filmes na Netflix e jogar online, por exemplo. Por isso, é importante observar isso também.

Tamanho do local

O tamanho da casa e as barreiras, por exemplo, paredes, portas, móveis e janelas, também vão influenciar no pacote da sua internet e na própria configuração do seu roteador.

Resumidamente, sua internet precisa ser boa o suficiente para não congestionar com os aparelhos, mas também ser configurada por uma equipe especializada.

3 Escolha por custo-benefício e não por preço

O preço muitas vezes chama atenção, porém, é preciso também medir o custo-benefício. Para isso, você deve escolher uma internet que atenda as suas necessidades, mas que tenha um preço bacana.

Aqui na LinkCe, por exemplo, os pacotes já começam com 200 mega, por a partir de 89,90. Esse valor você pode pagar por pacotes muito menores em outras operadoras, por isso, vale a pena analisar preço e megas oferecidos.

4 Confira os comentários dos clientes

Nada melhor para avaliar os aspectos de uma nova operadora do que ouvir quem já passou pelo serviço. Para isso, você pode ir observar os comentários nas postagens da rede social da empresa, verificar os comentários no Google e os registros no Reclame aqui. O que você precisa avaliar em cada um, por exemplo, são:

Redes sociais

Para analisar as reclamações nas redes sociais, analise as últimas publicações, abrindo os comentários e veja se alguém reclamou sobre algo.

Caso alguém tenha reclamado, observe também se a empresa respondeu ao comentário de maneira positiva. Se os comentários estiverem limitados, você deve se preocupar.

Comentários no Google

Também é importante avaliar os comentários no Google, pois lá consegue ver a nota geral, conforme as avaliações, mas também os comentários que algumas pessoas deixam.

No Google é importante saber avaliar os comentários, pois nem todos vão ser construtivos, mas cabe analisar um a um e absorver como achar que deve.

Reclame Aqui

O Reclame Aqui é uma plataforma exclusivamente para reclamação dos consumidores. Além de conter as reivindicações, o próprio site dá uma estatística sobre os problemas resolvidos, as demandas mais comuns e as respostas das empresas. Isso faz dela a melhor ferramenta para analisar as reclamações.

5 Confira o suporte antes de contratar

Ninguém se vê sem internet, afinal, a usamos para trabalhar, estudar ou passar o tempo e sempre estamos conectados. Obviamente, podem ocorrer problemas eventuais em qualquer operadora, mas a capacidade da equipe de resolver esses problemas é o que vai diferenciar a qualidade do serviço.

Para isso, ligue para a operadora ou fale no WhatsApp para testar quanto tempo eles levam para responder. Assim, você pode ter uma noção de demora no atendimento para quando precisar de verdade.

6 Tipo de conexão

Existem alguns tipos de conexão diferente no mercado, as mais comuns são: ADSL, Fibra Óptica, cabo e satélite. Calma. Vamos explicar cada uma delas aqui.

ADSL

Esse tipo de conexão é uma das mais antigas e usa a linha de telefone. Ela é mais rápida para fazer download (baixar) do que para fazer upload (enviar) de arquivos. No entanto, apesar de ser muito comum ela é mais ideal para quem não possui muita necessidade da interne, pois, costuma ter interferências.

Fibra Óptica

A fibra óptica é uma das melhores opções, se não, a melhor, pois consegue literalmente entregar sua conexão na velocidade da luz, pois usa luz e não eletricidade para o envio de dados. A conexão não sofre interferências, mas também possui a mesma velocidade para recebimento e envio de dados.

Por isso, ela é uma ótima opção para quem trabalha home office, joga online ou mesmo quer ver filmes sem travar.

Cabo

A internet a cabo usa a conexão de TV a cabo, mas, normalmente, é usada para quem fecha esse serviço além da conexão de internet. A velocidade é melhor que a ADSL, porém não chega perto da fibra óptica e pode causar congestionamento se seus vizinhos usarem o mesmo serviço, pois é compartilhado, de certa forma.

Satélite

A conexão satélite é mais comum em regiões rurais, pois recebe numa antena o sinal emitido por satélite e não possui cabos ou fios.

Essa conexão também tem uma velocidade menor por causa da distância entre os satélites que orbitam a terra e a localidade, além de possuírem interferências para chegar à antena.

Como você pode perceber, a melhor conexão é a de fibra óptica, garantindo mais velocidade e menos interrupção. Caso não possua essa opção na sua região, vale a pena analisar as outras possíveis.

7 Existem custos extras?

Algumas operadoras fazem a instalação grátis, outas cobram pelo aparelho receptor (modem/roteador). Por isso, fique atento a esses custos extras na hora de analisar que serviço escolher.

8 Bom atendimento e suporte

Além do atendimento do suporte, você deve analisar o atendimento na hora de pesquisar sobre os pacotes. A pessoa atendeu bem? Respondeu todas as suas dúvidas? Ajudou você a entender melhor como funciona? Não vale a pena contratar um serviço nebuloso, que você não saiba dos detalhes e que no futuro pode trazer dor de cabeça.

9 Empresa local ou grandes operadoras?

Essa é uma dúvida bem comum. Algumas pessoas desconfiam das empresas menores, outras se sentem desprezados pelas grandes empresas. Isso é bem relativo, mas a dica é que depois que você analisar todos esses pontos da nossa lista, vai se sentir mais confiante para escolher entre as operadoras locais e as grandes operadoras.

As empresas menores conseguem dar um atendimento mais personalizado, mais cuidadoso e ainda atender mais prontamente.

Além disso, as empresas locais podem fornecer uma internet de excelentíssima qualidade. A LinkCE, por exemplo, foi eleita 3 vezes a melhor internet da região.

Clique aqui e conheça nossos planos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *